•  
     

Tudo o que sabemos sobre a morte de Bin Laden está errado?

Imagem

A história oficial sobre a morte de Osama Bin Laden dá conta que ele teria morrido pelas mãos deSEALs, uma força especial da marinha americana, em seu refúgio no Paquistão. Porém uma reportagem feita pelo renomado jornalista investigativo Seymour M. Hersh, no London Review of Books, mostra uma versão bem diferente.

Para começar, de acordo com Hersh, Bin Laden não estava em um esconderijo no Paquistão, mas preso por militares paquistaneses. O exército do país recebia dinheiro da Arábia Saudita para mantê-lo prisioneiro - o que combina com uma reportagem do New York Times, de 2014, que mostra que a Agência de Inteligência Paquistanesa tinha um departamento especial para 'tomar conta' do terrorista. Os SEALs também não precisaram invadir e tomar o local à força e provavelmente mataram Bin Laden quando ele estava desarmado.

A ideia de que métodos de interrogatório com tortura ofereceram a agentes americanos as informações que indicaram a localização de Bin Laden - como indicado em "A hora mais escura" - seria completamente inventada. Hersh sugere que uma denúncia sobre o paradeiro de Bin Laden foi oferecida ao governo dos EUA, em troca da 'bagatela' de 25 milhões de dólares.

O corpo do terrorista também não teria sido jogado no mar, como o relatório oficial indica, mas sim dividido em partes e jogado nas montanhas Hindu Kush, no caminho de volta para o Afeganistão.

A matéria de Hersh é concluída com uma ferrenha crítica ao governo Obama e ao modus operandi dos militares americanos, com "desrespeito à cadeia de comando e ataques secretos de drones".