•  
     

Trabalho engavetou pedido da CGU de anulação de convênio com ONG

Um relatório da Controladoria Geral da União (CGU) aponta irregularidades numa das licitações da ONG Fundação Pró-Cerrado e solicita a anulação de um dos contratos. Mas o documento ficou engavetado no Ministério do Trabalho por quase três anos. A entidade, pertence a Adair Meira, que, em dezembro de 2009, providenciou um avião para o ministro Carlos Lupi viajar pelo Maranhão. As informações são do jornal O Globo.

O relatório, que visava impedir possíveis desvios, foi encaminhado ao ministério em dezembro de 2008, um ano depois da assinatura de contrato com a Pró-Cerrado. Porém, a solicitação da CGU só foi enviada à entidade na semana passada, quando Lupi já estava envolvido em denúncias de corrupção nos convênios com ONGs. O documento aponta que a organização não inclui estudo sobre demanda, ao apresentar o projeto de qualificação e inserção de jovens no mercado de trabalho.