•  
     

Sensação de injustiça marcou velório e enterro de vítimas de atropelamento

Sensação de injustiça marcou velório e enterro de vítimas de atropelamento
Último corpo foi sepultado na tarde deste domingo.
Acidente aconteceu após _____ entre dois carros em Mogi das Cruzes.
Jenifer Carpani
Do G1 Mogi das Cruzes e Suzano


15 comentários
Caixões das vítimas foram velados na comunidade São Judas Tadeu (Foto: Jenifer Carpani/G1)
Caixões das vítimas foram velados na comunidade São Judas Tadeu (Foto: Jenifer Carpani/G1)
As seis vítimas de um atropelamento por causa de um _____ foram sepultadas neste domingo (29) em Mogi das Cruzes. O acidente foi o resultado de uma disputa entre dois veículos que atropelaram um grupo de dez jovens que estavam reunidos na periferia. O acidente aconteceu por volta da 0h30 de sábado (28).
Ao som de aplausos, Elaine Cristina viu o corpo do seu filho Lucas Baptista Lopes, de 13 anos, sair da Igreja São Judas Tadeu na manhã deste domingo. "Quando você corta um dedo, você toma anestesia e a dor passa. Mas quando você perde um filho, essa dor nunca mais vai passar". E a perda de Elaine foi tripla. "Perdi meu filho mais novo, meu sobrinho Rebert e a namorada do meu filho mais velho, a Patrícia".
Por pouco, ela quase perdeu o filho mais velho também. "Meu filho mais velho tinha acabado de sair do terreno onde os jovens estavam reunidos quando viu um carro passar correndo. Ele resolveu ligar para o celular do irmão dele. Mas, meu menino já não atendeu mais", narrou a mãe com lágrimas nos olhos.
saiba mais
Jovem atropelada em _____ é sepultada
Corpos dos seis jovens são liberados do IML de Mogi das Cruzes
'Tentei tirar a carta, mas fui reprovado', diz condutor que matou 6
Somadas à tristeza e ao luto, a sensação de impunidade e injustiça se mesclaram à emoção dos parentes e amigos da vítimas Rebert Nascimento Silvério, de 19 anos; André Francisco Duarte, de 22 anos; Herick Henrique Marques Pereira, de 17 anos; Patrícia Fontana Rieper, de 19 anos, Lucas Baptista Lopes, de 13 anos e Jeferson Andrade Nunes, de 17 anos. Todos foram velados na Igreja São Judas Tadeu, no bairro Santo Ângelo.
Amigos e parentes retiram caixão de comunidade para sepultamento (Foto: Jenifer Carpani/G1)
Amigos e parentes retiram caixão de comunidade
para sepultamento (Foto: Jenifer Carpani/G1)
Até o fim
Por volta das 9h, o Pároco da Igreja São Judas Tadeu realizou uma celebração. Parentes e amigos deram as mãos formando um círculo no meio do salão. "O que nos trouxe aqui não foi a morte, o que nos trouxe aqui foi o amor que eles tinham e que foi tirado por essa irresponsabilidade", salientou.
"Exéquias é uma palavra de origem latina e significa 'seguir até o fim'. E é o que vamos fazer com nossos irmãos falecidos hoje", disse o Padre Márcio Miranda. Patrícia foi enterrada pela manhã no Cemitério Parque das Oliveiras. Os caixões de Rebert, André, Lucas e Jeferson foram retirados da paróquia por volta das 9h50 e sepultados no Cemitério da Saudade. Herick também será enterrado no Cemitério da Saudade. A cerimônia deve acontecer no início da tarde.
Pedro Ferreira Nunes, tio de Jeferson, não se conformava com a perda de seis vidas. "Quase todo final de semana eles se reuniam ali. Eles ficavam conversando, era um grupo de uns 15 jovens", se lembra. "Só Deus mesmo para resolver alguma coisa. Que Deus faça Justiça".
Nova chance
Ellen Samara Pereira Franco, de 15 anos, estava entre o grupo de jovens que foi atingido. Entre as sequelas que restaram estão uma perna machucada e o luto pela perda dos amigos. "A gente sempre ia ali. A gente ia fumar narguile e conversar", contou. "O carro chegou a bater em mim, consegui me jogar para o lado".
Parentes e amigos estiveram no sepultamento no Cemitério da Saudade (Foto: Jenifer Carpani/G1)
Parentes e amigos estiveram no sepultamento no
Cemitério da Saudade (Foto: Jenifer Carpani/G1)
Júlio Baptista também estava lá no momento do atropelamento. "Foi Deus mesmo. Eu nem vi o que eu fiz", se lembra. "Não sei o que eu fiz, eu bati a mão no capô do carro e acabei pulando mais para trás e depois caí inconsciente".
Maria Cristina de Sousa Santos quase perdeu seu filho. "Meu filho também estava lá", disse chorando. "Ele estava com eles e saiu de perto deles só quando eu cheguei".
Um adolescente, de 15 anos, foi a sétima vítima do acidente. Ele foi socorrido e levado para a Santa Casa de Mogi das Cruzes. Segundo o hospital, ele teve alta por volta das 12h10 deste domingo, após passar por uma avaliação com um neurologista.