•  
     

Raspberry Pi: como um computador de 50 reais pode revolucionar a informática

Entre os lançamentos de novos computadores pessoais e smartphones, os que mais chamam atenção geralmente são aqueles que apresentam recursos de última geração e um hardware superpoderoso.

Mesmo assim, um novo produto que vai totalmente contra essa tendência promete revolucionar a informática, sendo que o seu trunfo é justamente ter um hardware bastante simples. Estamos falando do Raspberry Pi.

O nascimento da ideia

O projeto Raspberry Pi tem como objetivo disponibilizar um computador simples e de baixíssimo custo para que jovens e crianças do mundo tudo possam ter acesso às ferramentas básicas para o aprendizado de programação. A ideia foi proposta por um grupo de estudantes do laboratório de computação da Universidade de Cambridge, nos Estados Unidos, ao perceberem que o nível de conhecimento dos novos alunos estava em constante declínio.

Imagem

Acredite, tem um computador inteiro aqui

Eben Upton e seus colegas notaram que a maioria dos jovens que se inscrevia para o laboratório de computação do campus tem apenas experiência básica com programação web. O quadro atual é bem diferente do que acontecia nos anos 90, quando os novos alunos do curso de informática eram entusiastas da eletrônica que já haviam praticado computação de baixo nível como hobby.

Logo, o grupo de estudantes concluiu que um dos principais motivos para este declínio é a baixa disponibilidade de ferramentas simples voltadas para programação. Hoje, não existem mais computadores como o Commodore 64 e o Amiga, que exigiam um grau mínimo de conhecimento em computação para que fossem operados. O Raspberry Pi veio justamente para preencher esta lacuna.

Como Funciona

Os primeiros protótipos nasceram ainda em 2006 e têm sido aprimorados desde então. A atual versão, que já está em produção, resume-se a apenas uma pequena placa contendo todos os elementos centrais de um PC, com o tamanho próximo ao de um cartão de crédito.

Imagem

Os componentes do Raspberry Pi

O principal componente do Raspberry Pi é um pequeno circuito integrado que reúne o processador com a arquitetura ARM, a GPU VideoCore IV e a memória RAM. As especificações gerais são:

Processador ARM 11 de 700 MHz;
GPU VideoCore IV de 250 MHz;
256 MB total de RAM;
Saída de Vídeo HDMI e RCA;
Saída de áudio P2;
Interface de rede ethernet;
2 portas USB;
Conector Micro USB para alimentação (5 volts, 700mA).

Como o projeto Raspberry não tem fins lucrativos, os estudantes conseguiram convencer a Broadcom a fornecer o SoC principal por um preço bem abaixo do mercado, cerca de U$ 15 a unidade. Somando isso aos demais componentes, que também são de baixo custo, cada Raspberry Pi pode ser adquirido por apenas U$ 35 (cerca de R$ 67). Uma versão sem a interface de rede também está disponível por U$ 25 (R$ 48).

Imagem

Um detalhe importante é que a memória RAM é compartilhada entre o processador e a GPU, sendo que apenas 186 MB ficam disponíveis para o sistema. As configurações de inicialização básicas ficam guardadas em um arquivo de texto que também está no cartão SD juntamente com o SO, dispensando a necessidade de uma BIOS.

Por se tratar de um sistema bastante simplificado, apenas versões do Linux que foram modificadas especificamente para o Raspberry Pi estão aptas para funcionar como sistema operacional; nada de Windows. Apesar de suas configurações modestas, o computador é plenamente capaz de reproduzir vídeos em resolução Full HD através da interface HDMI.

Aplicações

O objetivo primário do Raspberry Pi é ser uma solução simples e barata para que jovens possam dar os primeiros passos no mundo da programação, principalmente nos países em desenvolvimento. Por isso, a ferramenta MIT Scratch, que ensina o básico da programação de uma maneira mais leviana, está inclusa em todas as versões do sistema operacional.

Imagem

Aplicativo de aprendizado que está incluso no Raspberry Pi

Porém, o projeto pode ir muito além da área educacional. Todos os projetos e códigos-fontes utilizados no pequeno computador foram disponibilizados ao domínio público pela Raspberry Pi Foundation, permitindo que qualquer fabricante possa fazer modificações ou até clones mais baratos da placa.

Muitos até o veem como uma solução de baixo custo para centrais multimídia, e até como uma alternativa para os dispositivos que mantêm os painéis publicitários funcionando em espaços públicos, como shopping centers.

Imagem
Breve, o Raspberry também pode estar nos painéis em shopping centers

Este não é o único computador compacto e de baixo custo a aparecer no mercado. Projetos como o Plug PC também oferecem soluções parecidas. Porém, assim como o Arduino revolucionou a mecatrônica, a natureza open-source do Raspberry Pi o torna ideal para os entusiastas do código aberto, já que pode ser explorado e modificado à vontade.



Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/hardware/231 ... z1uIDTEtBm