•  
     

Polícia faz ação reprimir milícia no Rio após protestos de motoristas de vans

Polícia faz ação reprimir milícia no Rio após protestos de motoristas de vans
Circulação de vans era normal na manhã desta terça-feira.
Prefeitura diz que milicianos promoveram manifestações de segunda.
A Polícia Civil do Rio realiza uma operação para reprimir vans ilegais, na comunidade de Rio das Pedras, na Zona Oeste, na manhã desta terça-feira (15). A corporação investiga ainda os protestos contra as novas regras para a circulação dos veículos na região. Manifestações provocaram transtornos no trânsito desde a noite de sexta-feira (11), conforme mostrou o Bom Dia Rio.
De acordo com o delegado Antônio Ricardo, da 32ªDP (Taquara), o objetivo da polícia com a ação é evitar transtornos como o desta segunda. “Seguimos a linha de investigação de que pessoas ligadas à milícia, que estão em liberdade, mas que já foram presas por esse crime, estariam por trás desse ato que foi noticiado na data de ontem. A Polícia Civil está empenhada em acabar com essa baderna que está sendo realizada lá em Rio das Pedras. As delegacias especializadas estão fazendo novas operações na data de hoje. Nós seguimos com a investigação no sentido de identificar essas pessoas”, destacou o delegado, ressaltando que imagens das câmeras de segurança de prédios da região estão sendo analisadas.
Na manhã desta terça, por volta das 7h, a situação era tranquila na Avenida Engenheiro Sousa Filho, em Rio das Pedras, na Zona oeste do Rio. Vans licenciadas e ônibus circulam pela via sem problemas. Na segunda-feira, a Prefeitura do Rio afirmou que grupos de milicianos foram os responsáveis pelo protesto.

Além da 32ªDP, também participam da ação policiais das Delegacias de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA), de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD), do Consumidor (Decon), de Roubos e Furtos (DRF), de Proteção ao Meio-Ambiente (DPMA), da Polinter e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core).
saiba mais
Motoristas de vans deixam Secretaria de Transportes do Rio após invasão
Novas linhas de vans começam a circular no Rio; veja o cronograma
Motoristas de vans protestam contra mudanças no esquema de circulação
Estações do BRT permanecem fechadas após depredação no Rio
Na segunda-feira (14), o presidente da Associação do Moradores de Rio das Pedras e motoristas de vans foram ouvidos. Barricadas feitas com lixo e pneus em chamas impediram a circulação de ônibus e vans na avenida que corta a comunidade. O protesto chegou até a Barra da Tijuca e depois seguiu para o o prédio da Secretaria municipal de Transportes, que foi invadido por um grupo.
Os manifestantes só deixaram o edifício após uma reunião com representantes do órgão. O policiamento no local foi reforçado e o prédio chegou a ser fechado após a invasão. Trabalhadores da categoria afirmaram que vão sugerir um plano de rotas alternativas para circular na região na próxima quarta-feira (16).
Mais protestos
Prédio da Secretaria Municipal de Transportes é fechado após invasão de motoristas de vans (Foto: Renata Soares/G1)
Prédio da Secretaria Municipal de Transportes foi
fechado após invasão de motoristas de vans
(Foto: Renata Soares/G1)
Na manhã de sábado (12) e na noite de sexta (11), os motoristas já haviam feito uma manifestação. Todas as vans estão proibidas de passar por quatro das principais vias da região. Desde sábado, está proibida a circulação de vans nas avenidas das Américas, Ayrton Senna, Armando Lombardi e Ministro Ivan Lins. O tráfego só estará liberado nas outras ruas da Barra da Tijuca e de Jacarepaguá, mas para uma quantidade bem menor de vans.
Os motoristas de vans que desobedecerem as novas regras serão multados em R$ 1.250. No total serão 392 veículos divididos em 18 linhas, Todas devem estar nas ruas dentro de cinco semanas.
Linhas
Três linhas começaram a circular neste sábado.
Taquara x Center Shopping (Via Retiro dos Artistas)
Taquara x Center (Via Nelson Cardoso)
Taquara x Center Shopping (Via Mirataia)
Vans sem licitação e kombis não podem mais circular nesses itinerários. Durante a primeira fase do novo sistema. A frota dos ônibus que fazem esses trajetos deve aumentar em 20%.


g1.globo