•  
     

Polícia confirma apenas 2 mortos nos atentados em Bogotá

Autoridades corrigem número previamente divulgado; apenas duas vítimas morreram

Imagem

A polícia colombiana corrigiu, nessa tarde, o número de mortos nos atentados em Bogotá. Anteriormente, redes como CNN e jornais locais veicularam que cinco pessoas haviam morrido. Porém, apenas duas vítimas foram fatais.

Além do número de mortos, a polícia corrigiu também o de feridos: 39, no lugar dos 29 divulgados.

Pelo menos três explosões ocorreram em Bogotá, capital da Colômbia, nesta terça-feira (15). O pior dos incidentes ocorreu às 11h da manhã (13h horário de Brasília), no centro da cidade, próximo à estação Calle 63 do metrô.

"Há uma informação parcial de 19 feridos, alguns leves e outros mais complicados, mas estamos neste momento a caminho do local. Apenas estamos em processo de saber quais as implicações desta situação ", disse o secretário de Saúde de Bogotá, Guillermo Jaramillo. logo após o incidente.

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, confirmou que o atentado ocorrido nesta terça tinha como alvo o ex-ministro do Interior Fernando Londoño, que ficou ferido, mas está fora de perigo.

Série de atentados assusta capital colombiana. Veja imagens

Doze dos feridos estão sendo atendidos no local e outros sete foram encaminhados para hospitais na proximidade.

As autoridades cercaram a região onde ocorreu a explosão. Testemunhas disseram que sete carros foram atingidos pela detonação e fachadas e vidros de lojas também sofreram danos.

A polícia especial antibombas está no local e pediu para que ninguém se aproxime.

De acordo com o jornal El Espectador, o ônibus utilizado na explosão ficou abandonado na rua por aproximadamente 15 minutos.

Outras explosões

Na Universidade Nacional também explodiram duas batatas bombas. Os estudantes foram reitados de local e se encontram nas imediações, informou o mesmo veículo.

Outras instituições de ensino superior da cidade foram evacuadas.

Protestos estão programados contra o tratado de livre-comércio entre o país e os EUA, que entrou em vigor nesta terça-feira.

O incidente também ocorreu horas depois da polícia desativar uma bomba que estava dentro de um carro no centro da capital, que, suspeita-se que seria atirada contra a sede da polícia metropolitana.

FARC

O comandante da Polícia Metropolitana de Bogotá, general Luis Eduardo Martínez, atribuiu às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) o atentado contra o ex-ministro Fernando Londoño.

— A ninguém mais se pode atribuir, e temos os elementos para poder afirmar o que estamos dizendo.
 
up
 
eitaa
 
se viu