•  
     

Pesquisa da ESPM diz que mulheres compõem 41% do público gamer do Brasil

Imagem

Conforme estudo divulgado hoje pelo núcleo de estudos e negócios em marketing digital da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing), as mulheres brasileiras já representam 41% do público nacional de gamers. Foram levados em consideração todos os tipos de títulos e em várias plataformas distintas, desde os simples apps em celulares aos títulos de peso nos principais consoles.

De acordo com os dados disponibilizados, as mulheres possuem em média 32 anos, enquanto os homens, que representam 59% dos jogadores, 35 anos. Com base nas informações da publicação, o PC é a plataforma predileta dos brasileiros no momento de jogar algum título (85% das pessoas disseram utilizá-lo e 83% falaram que jogam online comumente).

Games carregados no bolso

Os smartphones estão logo atrás, utilizados por 73% de todos os entrevistados (homens e mulheres). Entretanto, os jogos desses aparelhos não estão entre as principais distrações que as pessoas utilizam nos dispositivos (ouvir músicas e acessar as diferentes redes sociais vem por primeiro).

Guilherme Camargo, professor do curso de Game Marketing da ESPM de São Paulo, diz que antigamente as pessoas usavam os celulares com foco em produtividade, porém que hoje eles já estão consolidados como uma plataforma de entretenimento – e que os jogadores possuíram um papel fundamental para essa expansão ocorrer. Os principais consoles só aparecem em terceiro lugar, com um público de 66% entre todos os jogadores. Já os tablets, englobam 31% dos gamers do Brasil.

Jogos para todos os gostos

Quanto o assunto é gênero de jogos, as opiniões entre homens e mulheres não são tão divergentes. Ambos os sexos empatam na preferência do estilo ação e aventura, com 22%. Contudo, maior parte das mulheres se interessa mais pelos títulos de estratégia (22% também), enquanto 20% dos homens preferem os jogos de tiro, populares FPS.

No quesito de valores, os jogadores brasileiros responderam que preferem baixar jogos gratuitos em smartphones e tablets do que pagar por eles (81% das pessoas só faz download de games gratuitos, enquanto 53% comprou pelo menos algum jogo em determinado momento). A pesquisa foi realizada em conjunto com o estúdio Sioux e pela Blend New Research – 832 pessoas das mais variadas idades foram entrevistadas.

fonte: http://www.bj.com.br/