•  
     

MMX, de Eike Batista, conclui venda de ativos no Chile

MMX, de Eike Batista, conclui venda de ativos no Chile
Companhia vendeu as ações que possuía na Minera MMX de Chile S.A.
Entre os objetivos está o de 'maximizar criação de valor para acionistas'.

A mineradora MMX, do empresário Eike Batista, anunciou na manhã desta sexta-feira (1º) que concluiu a venda da totalidade de suas ações detidas na Minera MMX de Chile S.A. (“MMX Chile”) para a chilena Inversiones Cooper Mining S.A.
As informações foram publicadas na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), por meio de fato relevante. Na nota, a companhia indica que "no momento, passa por uma revisão de seu modelo de negócios".
"A transação deverá assegurar, de acordo com o comunicado, o pagamento trimestral de royalties, para a companhia, fixados em US$ 0,80 por tonelada de minério de ferro seco vendido, a partir do início da produção e exploração comercial dos ativos da MMX Chile pela Cooper Mining, limitado ao valor máximo de US$ 40.000.000,00 (quarenta milhões de dólares norte americanos) reajustados à variação do Producer Price Index (“PPI”)", informa o comunicado.
De acordo com a mineradora, a venda das operações no Chile está alinhada com a estratégia da companhia de "otimização do seu portfólio de ativos e simplificação de sua estrutura societária para maximizar a criação de valor para seus acionistas".
O grupo EBX, de Eike Batista, passa hoje por uma crise. No início da semana, a petroleira OGX pediu recuperação judicial e o estaleiro OSX deu sinais de que poderá fazer o mesmo.
No dia 14 de outubro, a MMX comunicou a venda de 65% do capital social da MMX Porto Sudeste para as companhias Impala e Mubadala pelo montante de US$ 400 milhões.

mais informações g1.globo