•  
     

José Serra anuncia que fica no PSDB e que prioridade é derrotar o PT

José Serra anuncia que fica no PSDB e que prioridade é derrotar o PT
Tucano foi convidado pelo PPS para se candidatar à Presidência em 2014.
Em nota, Aécio comemorou permanência do ex-governador no partido.
Do G1, em Brasília


13 comentários
O ex-governador de São Paulo José Serra anunciou nesta terça-feira (1º), em sua conta pessoal no Facebook, que vai permanecer no PSDB. O tucano vinha sendo sondado para ingressar no PPS para se candidatar à Presidência no ano que vem, o que deveria ocorrer até o próximo sábado (5). A decisão foi antecipada no início da tarde pelo Blog do Camarotti, no G1.

Na mensagem, Serra diz que sua prioridade é "derrotar o PT" e que o PSDB será a "trincheira adequada para lutar por esse propósito". Ele não mencionou se pretende indicar seu nome no partido para concorrer à Presidência. Dentro do PSDB, o mais cotado atualmente para concorrer é o senador Aécio Neves (MG), presidente do partido.
Em agosto, Serra chegou a propor prévias para escolher o candidato tucano, mas a ideia não foi levada adiante pelo partido até o momento.
saiba mais
Camarotti: Serra decide ficar no PSDB
Serra quer 'condições iguais' para disputar prévias no PSDB
Serra diz que acha 'melhor' mais de uma candidatura de oposição a Dilma
Em nota, Aécio Neves comemorou dizendo que Serra é "figura indispensável ao PSDB" e que o "protagonismo" do ex-governador "no processo político, agora e nas eleições presidenciais que se avizinham, é um fato absolutamente natural e desejável não apenas aos meus olhos, como aos daqueles que buscam uma alternativa ao governo petista".

Na mensagem a seus seguidores na rede social, Serra diz que a prática e projeto do PT "já comprometem o presente e ameaçam o futuro do Brasil". Afirmou que, no PSDB, se empenhará "para agregar outras forças que pretendem dar um novo rumo ao país".
"O Brasil não pode continuar vítima de uma falsa contradição entre justiça social e desenvolvimento. É preciso pôr fim a esse impasse, que, na verdade, acaba punindo os mais pobres, incentivando a incompetência e justificando erros grosseiros na aplicação de políticas públicas", escreveu.
Aécio, por sua vez, evitou mostrar-se como possível candidato na nota e disse que ainda não é o momento de definir quem disputará a Presidência pelo PSDB. "A presença de José Serra em nossas fileiras fornece a nós, tucanos, e aos partidos aliados uma opção de grande dimensão política a ser avaliada no momento e segundo critérios adequados para o sucesso da luta comum", afirmou.