•  
     

EUA batem a China, são penta do Grand Prix e Brasil fica com a prata

Depois de derrotar a Turquia por 3 sets a 1 no primeiro jogo da última e decisiva rodada do Grand Prix, só restava ao Brasil secar as norte-americanas diante das chinesas, na manhã deste domingo, em Ningbo, na China. No primeiro e terceiro sets as donas da casa até deram trabalho, mas os Estados Unidos confirmaram o favoritismo, venceram por 3 sets a 0, parciais de 26/24, 25/21 e 27/25, e conquistaram o terceiro título consecutivo e o quinto de sua história na competição.
A seleção brasileira de José Roberto Guimarães, derrotada apenas para as americanas na estreia da fase final do Grand Prix, assegurou a medalha de prata ao vencer por 3 a 1 as turcas, que, treinadas pelo técnico brasileiro Marco Aurélio Motta, ficaram com um surpreendente bronze e subiram pela primeira vez ao pódio em vinte edições da competição.
Mesmo sem a levantadora Lindsey Berg e as atacantes Logan Tom e Destionee Hooker, titulares absolutas do técnico Hugh McCutcheon, campeão olímpico com o time masculino em Pequim-2008, os Estados Unidos não correram muitos riscos contra as chinesas.
No primeiro set, depois de dominaram a parcial do início ao fim, o time americano cochilou e quase pôs tudo a perder. Após abrirem uma vantagem de 23 a 19, as americanas permitiram a reação das donas da casa que empataram em 24 a 24. Mas num ataque de Danielle Scott e num erro da atacante Hui R.Q, as americanas espantaram a zebra e fecharam em 26 a 24.
A segunda parcial foi ainda mais tranquila para as pentacampeãs. Num início arrasador, as americanas fizeram 17 a 9 e deram a impressão que fechariam rapidamente o set. No entanto, o time comandado por McCutcheon teve outra pane e permitiu que as chinesas enconstassem no placar e diminuíssem a diferença para apenas três pontos. A reação, porém, não impediu a derrota por 25 a 21.
As brasileiras voltaram a ter esperanças de conquistar o nono título do Grand Prix no terceiro set. As chinesas começaram melhor a parcial, abriram uma vantagem de quatro pontos e dominaram as ações até a segunda parada técnica (16 a 12). Mas as entradas da oposto Haneef-Park, de 2,00m, e da levantadora Courtney Thompson, na inversão do 5 e 1, devolveu a tranquilidade aos Estados Unidos, que reagiram e num final dramático venceram por 27 a 25.