•  
     

Como é que as aranhas não se enroscam nas próprias teias?

Descubra o motivo de esses animais não ficarem presos em suas armadilhas.

Imagem

Você alguma vez já se perguntou como é possível que as aranhas criem teias tão elaboradas para capturar suas presas e não acabem elas mesmas se enroscando em suas armadilhas? Pois isso ocorre porque os bichinhos, além de contarem com espécies de garrinhas microscópicas em suas patas — para ajudá-los a agarrar e soltar os fios —, tecem dois tipos de seda diferentes, um coberto com uma substância pegajosa e o outro não!

As aranhas, como você sabe, são animais dotados de oito patas, até oito olhinhos e sete glândulas no abdômen para a produção de teia. Essas glândulas — que nunca ocorrem ao mesmo tempo no mesmo animal — secretam proteínas que são expelidas através das fieiras para produzir os dois tipos de teia mencionados acima.


Armadilha grudenta

Imagem

Quando começam a tecer as armadilhas, as aranhas — pelo menos as tecedeiras — iniciam o processo pelo centro, produzindo a armadilha de dentro para fora. As armadilhas são bem complexas, compostas pela moldura e os raios, sobre os quais as aranhas vão tecendo os fios em espiral. É sobre essa estrutura que as teias mais elásticas e pegajosas vão sendo depositadas, seguindo, agora, o sentido de fora para o centro da armadilha.

Apesar de muita gente acreditar que as aranhas não se enroscam em suas próprias teias devido à presença de óleos especiais que repelem esses materiais, a verdade é que essa hipótese nunca foi comprovada. Embora os cientistas não estejam completamente certos de que como é que esses animais não ficam presos nas armadilhas, a teoria mais aceita é a de que as aranhas são capazes de diferenciar os fios pegajosos dos normais.

Portanto, os animais sabem quais fios devem ser evitados. Mas, além de serem capazes de produzir diferentes tipos de seda, as aranhas tecedeiras também contam com três garrinhas em suas patas, o que significa que elas possuem uma a mais do que as demais aranhas. Essas estruturas servem para que os animais se agarrem aos fios, além de oferecer mais tração conforme se movimentam.


Fonte : Portal São Francisco The Spider Myths Site The Library of Congress Animal Planet
 
Hum Interessante Eu Não Sou Nerd Intão

Não Entendi Nada.